Publicações

Condição Feminina no Império Colonial Português

Condição Feminina no Império Colonial Português

Porto: Edições Politema, Instituto Politécnico do Porto, 2008.

ISBN: 978-972-8688-54-7

Com o apoio da Fundação Calouste Gulbenkian e da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Sessão de lançamento: 19 de Setembro 2008, na Livraria Bertrand – Júlio Dinis, Porto, com apresentação de Irene Flunser Pimentel (Prémio Pessoa 2007) e Elza Pais, Presidente da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género.

Wook / Bertrand

Conteúdos

Introdução

1. Epistemologia Interdisciplinar

Reflexões Metodológicas sobre o uso da análise do discurso nos estudos da História Política Cultural
Giselda Brito Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Vozes femininas na queda do Império: O Esplendor de Portugal de António Lobo Antunes
Dalila Lopes, Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto

2. Escravatura Feminina

Memórias da escravidão: as mulheres e o comércio humano nos jornais pernambucanos de 1850 a 1888
Ângela Grillo, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Escravas Feiticeiras em Portugal na Época Moderna
Daniela Calainho, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Escravatura feminina, economia doméstica e estatuto social nos prazos do Zambeze no século XVIII
Eugénia Rodrigues, Instituto de Investigação Científica Tropical

Contribuição dos ‘Anais de Vila Bela: 1734-1789’ para o estudo da escravidão no império português
Leny Caselli Anzai, Universidade Federal de Mato Grosso

Filhos de Escrava no Império colonial Português: Regime jurídico e sua aplicação (sécs XVI a XIX)
Margarida Seixas, Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

O trabalho feminino nas feiras e mercados: Angola e as quitandeiras
Selma Pantoja, Universidade de Brasília

Culinária e Religião: resistência cultural afro-brasileira no século XIX
Zélia Bora, Universidade Federal da Paraíba

3. Literatura e Linguística no Feminino

A escrita autobiográfica e a adoção de uma dicção feminina: um retrato das cartas de Mariana Alcoforado
Betina Ruiz, Universidade de S. Paulo

Representações do feminino nas Cartas e Escritos de S. Francisco Xavier
Clara Sarmento, Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto

Batalha contra o Silêncio: O Diário de Graciete Nogueira Batalha, Professora em Macau
Cristina Pinto da Silva, Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto

Ibiacaba e a exploração dos imigrantes suíços no Brasil
Helena Guimarães, Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto

Os colonos e a escravatura no Brasil: a necessidade de novas abordagens
Luísa Langford, Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Porto

Linguística no feminino: o português das mulheres timorenses
Maria João Marçalo, Universidade de Évora

Pré-feminismo no século XIX: Guiomar Torresão e sua baronesaou ohumor como arma de trangressão em Guiomar Torresão
Monica Rector, University of North Carolina

Mulheres viajantes do século XIX: o olhar feminino sobre a condição feminina no Brasil
Teresinha Chaves, Universidade de São Paulo

4. Subalternidades Femininas e Comportamentos Culturais

As mulheres e o processo de emancipação social
Abigail Silva, Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra

A conquista do espaço público: o protagonismo feminino nos séculos XVII e XVIII na esfera religiosa
Célia Borges, Universidade Federal de Juiz de Fora

Iguais na lei, desiguais na comunidade: educação e a construção social da autoridade feminina em Timor-Leste
Daniel Schroeter Simião, Universidade Federal de Minas Gerais

Mulheres no Brasil colonial: o caso do recolhimento da Santa Casa da Misericórdia da Bahia
Maria de Deus Manso, Universidade de Évora

A relação do político com o religioso e a construção da ordem feminina no Brasil no século XX
Giselda Brito Silva, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Criadas para servir: instrução e educação feminina de pobres na Bahia 1870/90
Ione Celeste Jesus de Sousa, Universidade Federal de Feira de Santana

Meandros da Subalternalidade Feminina: quando o subalterno se torna senhor
Isabel Pinto, Universidade do Porto

Gênero e notabilidade: Mulheres portuguesas imigrantes nas sociedades de beneficiência do Brasil, 1854-1889
Larissa Chaves, Universidade de Vale do Rio dos Sinos, Rio Grande do Sul

A Mulher na Misericórdia de Macau
Leonor de Seabra, Universidade de Macau

Mendigas, santas e loucas, das ruas às clausuras: para uma compreensão sobre a condição feminina no Brasil (século XIX)
Marcos Antonio de Almeida, Universidade Católica de Pernambuco

Onde há galos podem cantar galinhas, 1964-1974: O contexto sociocultural feminino da última década do Estado Novo
Matilde da Conceição Estevens, Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Lisboa

Família, Mestiçagem e Estratégias Femininas de Sobrevivência no Pernambuco Colonial
Suely de Almeida, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Educação Feminina no Moçambique de 1968 a 1974
Teresa de Seabra, Escola Profissional de Desenvolvimento Rural de Grândola

Mestiçagem e colonialismo em Moçambique 1890/1940
Valdemir Zamparoni, Universidade Federal da Bahia

Ausentes ou mitificadas, silenciadas ou vitimizadas, as mulheres da História de Portugal são exemplo do papel desempenhado pelo discurso historiográfico e pelo crivo da ideologia e da memória colectiva na formação das identidades, das suas práticas e representações.

A ausência da mulher emerge em especial no momento de analisar a condição feminina no vasto cenário do espaço colonial e metropolitano, do Brasil ao Extremo Oriente, passando pela Europa, África e Índia, entre o início da expansão do século XVI e a devolução das colónias.

Descrevendo com seriedade científica as vivências e os (pre)conceitos de que as mulheres foram sujeitos e objectos, esta obraconvoca uma multiplicidade de disciplinas, para que as perspectivas e a selecção das fontes e metodologias sejam isentas e plurais, e acolhe as mais diversas origens nacionais, para que se façam ouvir em sintonia as várias memórias intervenientes na saga global, bem como as diferentes versões da história do império colonial português.

EVENTO DE LANÇAMENTO NOTICIADO EM:

Diário de Notícias, “Vai acontecer hoje”, 19 de Setembro de 2008.
Diário Digital, “Investigadores lançam livro sobre mulheres no Império luso”, 18 de Setembro de 2008.
Jornal Correio dos Açores, “Um livro que promete dar que falar: A mulher no Império Colonial Português”, 19 de Setembro de 2008.
Jornal de Notícias On-Line, 18 de Setembro de 2008.
Jornal de Notícias, “Grande Porto: Dois novos livros e uma feira do livro”, 19 de Setembro de 2008.
Jornal Destak, “Estudo: Importância da mulher na história portuguesa foi marginalizada”, 17 de Setembro de 2008, p. 5.
Jornal Expresso On-Line, 18 de Setembro de 2008.
Jornal Meia-Hora, “Investigação: Livro apresenta histórias de mulheres no cenário colonial”, 19 de Setembro de 2008.
Jornal Mundo Universitário, “Mulheres ao Longo da História”, 22 de Setembro de 2008.
Jornal Mundo Universitário, “O poder da mulher portuguesa”, Laura Alves, 18 de Setembro de 2008.
RTP Notícias, “Mulheres: Investigadores portugueses e internacionais lançam livro que pretende devolver às mulheres o seu lugar na História”, 18 de Setembro de 2008.
Serviços informativos horários da Rádio Nova de 19 de Setembro de 2008.
Webpages: IELT-FCSH/U.NOVA; Universia – Rede de Universidades, 19 de Setembro de 2008.

ENTREVISTAS E REPORTAGENS

Entrevista radiofónica à Antena Um, 19 de Setembro de 2008.
Entrevista radiofónica ao Rádio Clube Português, 23 de Setembro de 2008.
Entrevista radiofónica à Rádio Renascença, 25 de Setembro de 2008.
Reportagem “A História Esqueceu-se Delas”, por Natália Faria, Caderno P2, Jornal Público, 22 de Outubro de 2008, pp. 8-9.
Reportagem e entrevista “Politema edita Condição Feminina no Império Colonial Português”, Falar Azul Boletim Bimestral do Instituto Politécnico do Porto, nº 2, Novembro /Dezembro 2008, pp. 20-4.

REFERÊNCIAS

Webpage do Serviço Social Português;
Portugal Net Literatura;
Centro de Documentação e Arquivo Feminista Eliana Guimarães;
projecto FCT “Terras Além dos Mares: Direitos de Propriedade no Império Português Moderno”, Centro de Estudos de História Contemporânea, ISCTE-IUL; ECREA;
Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia;
Projecto Memórias d’África e d’Oriente, Universidade de Aveiro e Fundação Portugal-Africa. 

RECENSÕES CRÍTICAS

São José Almeida, “História de Exclusões”, suplemento Ípsilon, Jornal Público de 17 de Outubro de 2008, pp. 47-8, com classificação máxima de 5 estrelas.
Isabel Viforcos Marinas, Estudios Humanisticos. Historia, nº 9, Universidade de León, España, 2010, pp. 283-95.

ACERVO DE BIBLIOTECAS

Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra;
Library of Congress, USA;
Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Viana do Castelo;
Universidade de Vigo;
Palácio Galveias;
Casa Civil do Presidente da República;
Biblioteca Pública da Madeira;
Fundación Dialnet;
Universidade Aberta.

CITAÇÕES

  1. Eric Morier-Genoud e Michel Cahen (eds.), Imperial Migrations: Colonial Communities and Diaspora in the Portuguese World. Londres: Palgrave, MacMillan, 2012, pp. 35-6.
  2. Sónia Maria Bruneto, Acolhimento Institucional de Crianças e Adolescentes: Garantia ou violação de direitos?, Dissertação de Licenciatura em Serviço Social, Universidade do Vale do Rio dos Sinos – UNISINOS, 2011, pp. 38, 126, 151.
  3. Samara Poliane Rodrigues Oliveira Reis, O Acolhimento Institucional de Crianças e Adolescentes e a Garantia de Direitos no Distrito Federal, Dissertação de Licenciatura em Serviço Social, Universidade de Brasília, 2009, pp. 39, 40, 79.
  4. Sílvia Espírito Santo, “Representações femininas do império na primeira metade do século XX”, Faces de Eva: Estudos sobre a Mulher, nº 34, 2015, p. 91.
  5. Eurídice Furtado Monteiro, Entre os senhores das ilhas e as descontentes: ausência e emergência de mulheres no campo político em Cabo Verde, Tese de doutoramento em Sociologia (Pós-Colonialismos e Cidadania Global), Universidade de Coimbra, 2012, p. 127.
  6. Florita Melo, “Mulheres e comércio (informal) em Luanda: Um olhar para além da crise pandémica de Covid19”, Revista Espaço Acadêmico, vol. 21 (2021): 13-24.